Edições Vercial

  • Portugais Vórtice

    José Leon Machado

    • Edições vercial
    Parution : 23 Janvier 2013 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    O Dr. Leonel, médico de clínica geral, tinha como passatempos preferidos o ténis e o aeroclube. Piloto amador, era com prazer que levantava voo na avioneta que lhe estava atribuída e sobrevoava a cidade. Porém, numa tarde de tempestade, o aparelho acabou por se despenhar. Leonel sobreviveu com alguns arranhões e depressa se deu conta de que o tempo e o lugar não coincidiam com o seu: estava algures no passado. Ajudado por um carvoeiro, consegue hospedagem num convento de frades. As desconfianças, fruto dos preconceitos, instalam-se, e ele, com receio de ser preso, acaba por fugir. Acompanha-o Cremilde, a formosa filha do carvoeiro. Encontrará o termo das suas penas, quando, do fundo do mar, vem à superfície. Um estranho desígnio, que ele nunca chegou a compreender, estava na base de toda aquela aventura.

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Portugais Constituições de D. Diogo de Sousa

    Sousa D. Diogo De

    • Edições vercial
    Parution : 7 Novembre 2013 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    As Constituições são, de acordo com os conhecimentos actuais, o quinto livro impresso em língua portuguesa. O impressor Rodrigo Álvares, de acordo com o cólofon do incunábulo, acabou de compor o texto no dia 4 de Janeiro de 1497, a mando do bispo do Porto D. Diogo de Sousa (1460-1532?). Este bispo, doutorado em Teologia pela Universidade de Paris, foi um dos mais ilustrados homens da Igreja portuguesa da época. Em 1495 foi nomeado bispo da diocese do Porto e em 1496 convocou um sínodo episcopal, que se reuniu a 24 de Agosto na mesma cidade. Desse sínodo foram exaradas sessenta constituições, ou directivas, que regulamentavam a vida religiosa dos clérigos, abades, reitores, priores e fiéis cristãos da sua diocese.

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Portugais Pinus Erectus

    Milton M. Azevedo

    • Edições vercial
    Parution : 11 Mars 2013 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    Doze autores (seis escritoras e seis escritores, portugueses e brasileiros) escrevem histórias cujo cenário é o período natalício. A paixão, a sensualidade, o amor e o humor, na atmosfera do Natal (as luzes, os aromas, os sons e os reencontros), são ingredientes para que esta coletânea permita uma leitura íntima, descontraída e nostálgica da festa mais importante do ano.

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Portugais Poesias

    Mário De Sá-Carneiro

    • Edições vercial
    Parution : 28 Février 2013 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    Mário de Sá-Carneiro nasceu em Lisboa, em 19 de Maio de 1890 e suicidou-se em Paris, em 26 de Abril de 1916. A presente obra contém: Dispersão, Indícios de Oiro e o poema Manucure.Não sou amigo de ninguém. P'ra o serForçoso me era antes possuirQuem eu estimasse - ou homem ou mulher,E eu não logro nunca possuir!...

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Portugais A Confissão de Lúcio

    Mário De Sá-Carneiro

    • Edições vercial
    Parution : 25 Février 2013 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    "Por 1895, não sei bem como, achei-me estudando Direito na Faculdade de Paris, ou melhor, não estudando. Vagabundo da minha mocidade, após ter tentado vários fins para a minha vida e de todos igualmente desistido - sedento de Europa, resolvera transportar-me à grande capital. Logo me embrenhei por meios mais ou menos artísticos, e Gervásio Vila-Nova, que eu mal conhecia de Lisboa, volveu-se-me o companheiro de todas as horas. Curiosa personalidade essa de grande artista falido, ou antes, predestinado para a falência."

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Portugais Céu em Fogo

    Mário De Sá-Carneiro

    • Edições vercial
    Parution : 25 Février 2013 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    "As grandes casas às escuras onde nunca entrara e que, no entanto, bem conhecia de as percorrer iluminadas - eu, do meu leito, imaginava-as, criava-as agora no silêncio e na treva, fantásticas: terrificantes e maravilhosas. Pensava: «Oh!, a glória de passear nelas por esta solidão, de tatear o que haverá dentro delas!...» E vinham-me ideias de, sorrateiramente, descalço, para as criadas não sentirem, erguer-me da minha pequena cama branca de taipais e partir a visitá-las... Mas era mais forte do que a ânsia o meu pavor... Escondia a cabeça debaixo dos lençóis, mesmo de verão, até que adormecia esquecido, fundamente."

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Portugais A Morgadinha dos Canaviais

    Júlio Dinis

    • Edições vercial
    Parution : 22 Février 2013 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    "É que eu sou realmente a morgadinha dos Canaviais. Quero dizer, minha madrinha vivia na quinta dos Canaviais, uma quinta que fica daqui perto. Era uma senhora velha, rica, elegante e muito caprichosa; chamavam-lhe todas a morgada dos Canaviais. Tomou-me ela afeição e, sempre que passeasse, me havia de levar consigo; daí começaram a chamar-me, de pequena, a morgadinha. Quando ela morreu deixou-me tudo quanto possuía; nesse legado entrava a quinta dos Canaviais, de que sou proprietária ainda. Foi uma como confirmação do título, que já desde criança me tinham dado; e para todos sou aqui a morgadinha, título na verdade pouco elegante e que tão mau conceito fez conceber ao primo Henrique da possuidora dele."

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Portugais Crónica de D. Duarte de Meneses

    Gomes Eanes De Zurara

    • Edições vercial
    Parution : 4 Janvier 2014 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    É história que trata dos grandes e assinados feitos do excelente e invencível capitão muito ilustre conde D. Duarte de Meneses, conde de Viana, capitão e governador de Alcácer em África, alferes-mor do invictíssimo rei D. Afonso de Portugal de perpétua memória, a qual foi primeiramente junta e escrita por Gomes Eanes de Zurara professo cavaleiro e comendador da Ordem de Cristo e cronista do dito senhor rei, e guarda-mor do tombo de seu reino.

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Portugais Matozinhos: Saga de uma Família

    Geraldo Affonso Muzzi

    • Edições vercial
    Parution : 19 Février 2013 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    "Enquanto os livros de história ostentam grandes notáveis e situações, o retrato desta obra permite o vislumbre das verdadeiras personalidades, até então anônimas, as verdadeiras responsáveis pela gênese de uma cidade e sua consolidação social.Fragmentos de instantes, famílias que prosperam, empregados que foram alicerce sólido e pilares de uma sociedade em construção, padres, dentistas, estrangeiros, revolucionários de motocicletas, mortes, vitórias, fracassos, paisagens, lamaçal - formam um preciso e precioso registro de um tempo passado responsável pela estrutura do presente.
    Convido ao leitor a aventurar-se por essas páginas, que permitem o riso, mas também as lágrimas. Mais do que um relato literário, a narrativa da existência humana em toda sua substância. Uma verdadeira experiência de estar vivo." (do Prefácio: Fernanda Macahiba)

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Portugais O Adultério no Romance Português dos anos de 60 e de 70 de Novecentos

    Eunice Cabral

    • Edições vercial
    Parution : 19 Février 2013 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    "O objeto deste trabalho consiste na análise das representações do tema do adultério em certos romances portugueses dos anos de 60 e de 70 de Novecentos. Sendo este o objetivo do estudo, são apresentados, de forma implícita, outros temas literários como o casamento e o amor. Estes temas desdobram-se em variadas concretizações discursivas, que indicam situações e experiências amorosas, umas convencionais e outras híbridas e, ainda, as correlativas identidades dos respetivos sujeitos masculinos e femininos nelas envolvidas.Ao analisar as representações do tema do adultério em alguns textos romanescos da Literatura Portuguesa da segunda metade do século XX, não pretendemos nem estabelecer nem esclarecer o que são o casamento e o adultério e a respetiva evolução sociocultural ou as várias interpretações contemporâneas do termo "casamento" e do seu "negativo" tipificado, o adultério." (Da Introdução.)

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Portugais O Olho de Vidro

    Camilo Castelo Branco

    • Edições vercial
    Parution : 19 Février 2013 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    "O eminente bibliógrafo e meu prezado amigo Inocêncio Francisco da Silva, historiando em breves linhas a vida quase obscura de Brás Luís de Abreu, conclui com estas palavras: Se algum dos nossos romancistas atuais se resolvesse a tratar o assunto, afigura-se-me que a vida deste nosso médico, com os curiosíssimos incidentes que ficam apontados, lhe dariam sobeja matéria para a fábrica de uma composição, onde mediante a lição dos escritos, que nos restam de Brás Luís, poderiam fundir-se habilmente espécies mui interessantes para daí resultar obra de cunho verdadeiramente nacional.Os termos em que o convite é feito animam e ao mesmo tempo assustam. Comecei temerariamente a composição deste romance: mau foi principiá-lo, que eu sou tão pouco cioso de aprimorar escritos desta ordem, que não me forro ao perigo de concluí-los e imprimi-los, ainda quando me desagradam.Não direi o que penso deste: assevero, porém, que não está decerto realizada a esperança do meu amigo Inocêncio Francisco da Silva. Se a biografia do autor do Portugal Médico é mina para locupletar romancistas, vão lá todos, que eu não toquei nos veios mais ricos." (Camilo)

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Portugais Serões da Província

    Júlio Dinis

    • Edições vercial
    Parution : 19 Février 2013 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    "No andar superior eram os quartos de D. Margarida, os quais abriam para uma ampla varanda de bem torneados balaústres, onde vegetavam em vasos de louça as flores prediletas da senhora; era também aí a sala dos serões familiares, e finalmente o quarto de Tomás. Este ficava situado em um dos ângulos do quadrilátero e imediato ao corpo lateral do edifício que fora destinado para capela.Durante as devastações que o país sofrera nas sucessivas guerras civis dos últimos períodos da nossa história, a casa de Entre Arroios não fora mais do que as outras respeitada, e os estragos que, no resto da habitação, tinham já sido cuidadosamente reparados, conservavam-se ainda visíveis no pequeno templo, onde havia muito se não exercia por isso o ofício divino."

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Portugais A Revolta das Pedras

    Francisco Martins

    • Edições vercial
    Parution : 17 Février 2013 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    A manifestação correu de uma forma mais ou menos pacífica, com escaramuças e algumas detenções por causa de alguns manifestantes, que provocavam as forças policiais, a ver se com isto conseguiam o apoio popular para partirem para a violência. Mas a maior parte dos manifestantes não pactuou com isso e no global correu tudo bem.Na Itália, as manifestações traduziram-se em confrontos violentos entre manifestante e as forças de segurança e, à semelhança do que aconteceu em Lisboa há pouco tempo, os revoltosos arrancaram os cubos dos pavimentos e apedrejaram as forças policiais. Os conflitos originaram centenas de feridos, dezenas de mortos, lojas assaltadas e vandalizadas, veículos e edifícios incendiados e muitas detenções. Já chamavam às manifestações sucessivas a revolta das pedras.

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Portugais Os Rios Inumeráveis

    Álvaro Cardoso Gomes

    • Edições vercial
    Parution : 22 Mars 2013 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    Dividido em nove livros, o romance apresenta uma personagem que, ao longo dos 500 anos da história do Brasil, vai se metamorfoseando em diferentes seres. Começando como um dos degredados da esquadra de Cabral, transforma-se num boto, num escravo negro, num inconfidente, num poeta romântico, numa mulher, etc. A linguagem do romance, por isso mesmo, procura mimetizar diversos estilos de época - o quinhentista, o barroco, o arcádico, o romântico, etc. -, que representam os principais aspectos da realidade social e cultural brasileira.

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Portugais O Sonho da Terra

    Álvaro Cardoso Gomes

    • Edições vercial
    Parution : 22 Mars 2013 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    O Sonho da Terra é um romance ofuscante, sobre trabalhadores numa mina misteriosa onde devem permanecer encerrados durante dois anos. Para escapar àquele mundo opressivo e asfixiante, contam histórias de amores frustrados, vinganças, sonhos e bruxarias, que são registradas pelo Narrador, de alcunha Quatroio. Temperado com cenas escatológicas e picarescas, salpicado de sub-enredos em que os leitores têm reconhecido obras literárias clássicas, passagens bíblicas, romances de aventuras, velhos seriados cinematográficos e filmes contemporâneos, e incluindo feitiços e seres mitológicos ao lado de invenções como a Máquina de prazer, O Sonho da Terra é um desfile em que um sentido de humor muito brasileiro leva a um contínuo riso rabelaisiano, como chicote de crítica social. A narrativa, essencialmente oral, molda-se num dialeto literário que evoca muitos estilos distintos, entre eles o português popular brasileiro.

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Portugais A Divina Paródia

    Álvaro Cardoso Gomes

    • Edições vercial
    Parution : 22 Mars 2013 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    Dividido em três jornadas - "O Sagrado Pulmão de Jesus", "The Creatures of Night Circus" e "Os Círculos do Paraíso" -, o romance conta a história de uma criança que nasce com uma doença congênita, uma acromegalia. Transformando-se num gigante, o jovem, partindo em busca do pai que desconhece, entra em contato com extravagantes personagens, entre elas, o diabo Astarot, uma mulher mecânica, um elefante-homem e o macaco King Kong. Vivendo mil e uma aventuras, acaba, finalmente, ascendendo ao paraíso, onde virá a descobrir o mistério de sua origem.

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Portugais A Cidade Proibida

    Álvaro Cardoso Gomes

    • Edições vercial
    Parution : 22 Mars 2013 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    Um "thriller" em que se mesclam a ficção científica, o romance policial e a narrativa futurística, que retrata um futuro aterrorizador, onde os seres humanos vítimas de guerras atômicas, vêem-se obrigados a refugiar-se em megalópoles protegidas. O protagonista se vê envolvido numa série de aventuras eletrizantes, em que se vê procurado por uma misteriosa figura, misto de anjo e demônio, e se torna o guardião de um talismã. Devido a isso, passa a ser perseguido por gangues ávidas do poder concedido pelo objeto mágico. Tendo por guia a chinesa Pui-Li, filha de um dragão-demônio, e assessorado pelo metódico detetive Descartes, o herói, frágil e solitário, percorre os caminhos do Inferno em busca de uma redenção talvez inatingível.

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Portugais A Dama do Casarão

    Milton M. Azevedo

    • Edições vercial
    Parution : 22 Décembre 2018 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    Havia prometido a si mesmo que após o término desastroso do primeiro casamento, assim que encontrasse uma mulher que lhe apetecesse, nunca a trairia. Era hora de parar com aquelas aventuras acadêmicas. E Rafaela havia lhe parecido o anjo caído do céu. Estavam juntos há algum tempo. O Huguinho, seu filho, a apreciava. E o sentimento era recíproco. O mesmo não podia dizer de Ângela, sua ex-mulher, que vivia a procurar pretextos para fazer de sua nova vida conjugal um pequeno inferno.

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Portugais Novas Aventuras de Marco Túlio Ferreira

    Maria Brandão

    • Edições vercial
    Parution : 22 Mars 2013 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    Havia prometido a si mesmo que após o término desastroso do primeiro casamento, assim que encontrasse uma mulher que lhe apetecesse, nunca a trairia. Era hora de parar com aquelas aventuras acadêmicas. E Rafaela havia lhe parecido o anjo caído do céu. Estavam juntos há algum tempo. O Huguinho, seu filho, a apreciava. E o sentimento era recíproco. O mesmo não podia dizer de Ângela, sua ex-mulher, que vivia a procurar pretextos para fazer de sua nova vida conjugal um pequeno inferno.

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Portugais A Menina que Queria Engarrafar o Tempo

    Fernanda Macahiba

    • Edições vercial
    Parution : 22 Mars 2013 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    Era uma vez uma menina chamada Inanna. Ela era muito sabida e só gostava de coisas boas - sorvete, jogar bola, brincar de boneca.A vida de Inanna era mais deliciosa que bala de hortelã. Acordava todo dia com o sol, conversava com os passarinhos na janela, trocava de roupa e corria para brincar com suas fadas e bruxas dos livros. Quando chovia, era a deusa da vida - cantava e cantava - e as flores nasciam no jardim.

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Portugais Os Fidalgos da Casa Mourisca

    Júlio Dinis

    • Edições vercial
    Parution : 20 Mars 2013 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    "Fala-se em diversos pontos das nossas províncias, com a seriedade que é própria a uma arreigada crença, de tesouros enterrados, que os mouros por aí deixaram, na esperança de voltarem um dia a resgatá-los, e já não têm sido poucas as escavações empreendidas no ávido intuito de os descobrir.Esta mesma noção histórica do povo é a que dá lugar a um outro frequente facto. Quando, no centro de qualquer aldeia, se eleva um palácio, um solar de família, distinto dos edifícios comuns por uma qualquer particularidade arquitetónica mais saliente, ouvireis no sítio designá-lo por o nome de Casa Mourisca, e, se não se guarda aí memória da sua fundação, a crónica lhe assinará infalivelmente, como data, a lendária e misteriosa época dos mouros.Era o que sucedia com o solar dos senhores Negrões de Vilar de Corvos, que, em três léguas em redondo, eram por isso conhecidos pelo nome dos Fidalgos da Casa Mourisca."

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Portugais A Relíquia

    Eça de Queirós

    • Edições vercial
    Parution : 14 Mars 2013 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    "Jerusalém é uma vila turca, com vielas andrajosas, acaçapada entre muralhas cor de lodo, e fedendo ao sol sob o badalar de sinos tristes.O Jordão, fio de água barrento e peco que se arrasta entre areais, nem pode ser comparado a esse claro e suave Lima que lá baixo, ao fundo do Mosteiro, banha as raízes dos meus amieiros; e todavia vede! Estas meigas águas portuguesas não correram jamais entre os joelhos de um Messias, nem jamais as roçaram as asas dos anjos, armados e rutilantes, trazendo do céu à terra as ameaças do Altíssimo!Entretanto, como há espíritos insaciáveis que, lendo de uma jornada pelas terras da Escritura, anelam conhecer desde o tamanho das pedras até ao preço da cerveja, eu recomendo a obra copiosa e luminosa do meu companheiro de romagem, o alemão Topsius, doutor pela Universidade de Bona e membro do Instituto Imperial de Escavações Históricas. São sete volumes in quarto, atochados, impressos em Leipzig, com este título fino e profundo - Jerusalém Passeada e Comentada."

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Portugais Lendas de Santos

    Eça de Queirós

    • Edições vercial
    Parution : 29 Février 2012 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    E a tentação era tão deliciosa e forte - que Onofre, diante, tremia todo, com uma espuma na boca ressequida, e grossas lágrimas rolando pelas barbas. Fugia: a mesa reaparecia tão rente do seu peito, que ele sentia a frescura da neve, o fumo da carne, e um aroma de pomar regado, e de flor de romãzeira, e de flor de laranjeira. Dava um brusco empurrão àquelas delícias do Inferno: - as frutas esboroavam-se sobre os seus pés, rachando de maduras, os vinhos entornados faziam regatos cheirosos na areia. Desesperado, torcia os braços, gritava pelo Senhor! «Socorro, meu Deus, socorro!» Tudo desaparecia: - mas logo sobre ele pendiam grossos ramos, carregados de laranjas, de romãs, de cachos de moscatel, de damascos dourados - e do chão rebentava uma chama clara onde um anho, gordo e branco, alourava no espeto... Onofre espedaçava os ramos, Onofre espezinhava o lume. «Socorro, meu Deus, socorro!»

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
  • Regards Lusophones sur l´Idéologie et l´Utopie dans le Discours Littéraire

    João Carlos Vitorino Pereira

    • Edições vercial
    Parution : 23 Février 2012 - Entrée pnb : 9 Décembre 2015

    Les études réunies dans cet ouvrage portent sur la représentation de l'idéologie et de l'utopie dans le discours littéraire, et plus précisément dans des oeuvres d'auteurs portugais, brésiliens et africains.
    Au fil des textes, le lecteur voyagera à travers différentes époques et d'une aire géoculturelle à l'autre en compagnie de Manuel Alegre, Luís de Magalhães, Ernesto Biester, Arnaldo Gama, Francisco Xavier de Oliveira, Miguel Sanches Neto, Moacyr Scliar, Pepetela, et Ondjaki. Certaines oeuvres abordées dans ce livre sont disponibles en français sous les titres suivants : Babylone, du poète et écrivain portugais Manuel Alegre, ainsi que Bonjour camarades, du romancier angolais Ondjaki. Plusieurs genres littéraires sont représentés : théâtre, poésie et roman.
    Ce livre sur l'idéologie et l'utopie vise à mettre en évidence des thèmes et des figures utopiques et à interroger les relations entre l'art et l'utopie, entre l'idéologie et l'utopie et enfin entre l'utopie et la contre-utopie ; il cherche à montrer que l'auteur, engagé ou pas, homme politique ou non, a parfaitement conscience de la distance irréductible qui sépare la fiction littéraire de l'action politique.

    20 prêts - durée illimitée
    20 Prêt(s) simultané(s)
    LCP
    Adobe
empty